• Reviews

    8 coisas básicas que você deve saber sobre a diabtes

    Conheça o que é a diabetes e aprenda a prevenir, é mais simples do que você pensa e evitar que, no futuro, seja parte da estatística mortal da doença.

    1. O número de pessoas com diabetes aumentou de 108 milhões em todo o mundo, em 1980, para 422 milhões em 2014. No México, é a primeira causa de morte entre as mulheres e a segunda entre os homens. Segundo o Instituto Nacional de Saúde Pública durante o ano de 2010, produziu 83 mil mortes em todo o país.
    2. A diabetes é uma doença crónica que aparece quando o pâncreas não produz insulina suficiente. A insulina é um hormônio que reduz o nível de açúcar no sangue. Existem dois tipos de diabetes.
    3. A a diabetes tipo 1 ocorre em crianças e jovens, caracteriza-se por uma produção insuficiente de insulina pelo que deve consumir diariamente sob a pele. Seus sintomas são sede e fome constante, súbita perda de peso e cansaço anormal.
    4. A diabetes tipo 2 é a que sofre o maior número de pessoas adultas e deve-se fundamentalmente ao excesso de peso e falta de atividade física. Os sintomas são os mesmos que os da diabetes tipo 1, mas um pouco menos intensos, o que geralmente é diagnosticada até que a doença tem avançado e tem outros sintomas mais graves, como a neuropatia nos pés, infarto do miocárdio ou retinopatia diabética, que é uma importante causa de cegueira.
    5. As complicações da diabetes são muitas e podem danificar diretamente alguns órgãos como rins ou partes do corpo como os olhos e os pés. As pessoas com diabetes podem sofrer de doenças da pele, dos ossos, do aparelho digestivo e disfunção sexual.
    6. A diabetes não é curável, embora com bons hábitos, você pode controlá-la. Fazer exercício, comer de forma saudável, evitar o cigarro, checarte os níveis de glicose (açúcar) no sangue de forma cotidiana, seguir as indicações de seu médico e ficar alerta para qualquer alteração física, são chaves para viver sem complicações.
    7. A “cura” contra a diabetes ainda não existe. Não faças caso de charlatães que a oferecem.
    8. O mais incrível de diabetes, que pode ser de formas muito claras e simples: manter um peso corporal saudável; manter-se ativo, é suficiente uma caminhada de 30 minutos por dia, já muito fitness, prática de exercício físico três vezes por semana; evitar alimentos com gorduras saturadas e açúcares refinados (evite refrigerantes, sucos engarrafados e fast food) e evitar o consumo de tabaco e álcool (lembre-se que o álcool é, fundamentalmente, açúcar).

    Nada complicado, você vê? E sim, muito fácil. Não seja mais um número de estatística, mortal do diabetes no México.

  • Sexologia

    Adolescência e higiene íntima

    A puberdade representa o período de transição entre a infância e a adolescência, e se manifesta através de alterações físicas. No caso das meninas aparecem as primeiras regras, o peito e o belo no púbis e nas axilas.


    Alterações hormonais


    Os hormônios sexuais são responsáveis por mudanças físicas na puberdade. Algumas áreas do cérebro são ativadas e, no caso das mulheres, estimulam os ovários, que começam a secretar os hormônios femininos: o estrógeno e a progesterona.


    As alterações morfológicas mais conhecidos somam-se outros mais discretos. Com efeito, os órgãos genitais externos aumentam de volume e o aspecto e a orientação da vulva começa a mudar progressivamente. Esta começa, também, a segregar leucorrea (perdas brancas) mais ou menos abundante. As secreções são completamente normais, pelo que não é necessário lavar com mais frequência. Mas se o adolescente sente dor ou se as perdas se tornam abundantes, é necessário ir ao ginecologista.


    As primeiras regras


    Costumam chegar por volta dos 13 anos, de cerca de dois anos depois do aparecimento do botão mamário (um bultito abaixo da aréola mamária); mas também podem aparecer a partir dos 10 anos de idade, ou não fazê-lo até aos 15 ou 16. Para as adolescentes, as primeiras regras são um motivo de preocupação, pois elas podem ser irregulares e dolorosas. Nestes casos, é aconselhável ir ao ginecologista, já que ambas as situações têm solução.


    Quanto ao aspecto prático, cada jovem vai encontrar a solução que mais lhe convier. Há uma oferta infinita de compressas, todas discretas, confortáveis e absorventes. Os tampões são práticos, pois permitem continuar com atividades físicas, como a natação. Ao contrário do que às vezes se ouve, os absorventes internos podem ser usados, embora você seja virgem; mas, nesse caso, é melhor usar os de tamanho “mini”. Os tampões sem aplicador são mais fáceis de colocar e por isso são recomendados para as primeiras vezes. Um último conselho: é importante ser alterada regularmente, tanto as compressas como os tampões.


    A higiene íntima


    Não há disposições especiais a tomar em relação à higiene íntima. As regras não são algo “sujo”, se bem que a adolescente pode se sentir desconfortável e querer lavar com mais frequência. Lavar uma ou duas vezes ao dia, como de costume, é o suficiente. Também não é necessário lavar-se de forma específica durante a menstruação. Mas se você quer usar um produto específico para a área, há que verificar que a fórmula seja ácida (PH próximo a 4) para que não altera a flora vaginal.


    Regras dolorosas, inflamações, perdas vaginais anormais… São muitas as dificuldades que podem aparecer, às vezes como reação à toma de medicamentos anti-acne ou a tratamentos contraceptivos mal tolerados. Seja qual seja o problema, é conveniente ir ao ginecologista. Também é importante reafirmar a jovem, porque a primeira consulta pode ser difícil de lidar.


    Sarah Laîné

  • Reviews

    8 coisas básicas que você deve saber sobre a diabtes

    Conheça o que é a diabetes e aprenda a prevenir, é mais simples do que você pensa e evitar que, no futuro, seja parte da estatística mortal da doença.

    1. O número de pessoas com diabetes aumentou de 108 milhões em todo o mundo, em 1980, para 422 milhões em 2014. No México, é a primeira causa de morte entre as mulheres e a segunda entre os homens. Segundo o Instituto Nacional de Saúde Pública durante o ano de 2010, produziu 83 mil mortes em todo o país.
    2. A diabetes é uma doença crónica que aparece quando o pâncreas não produz insulina suficiente. A insulina é um hormônio que reduz o nível de açúcar no sangue. Existem dois tipos de diabetes.
    3. A a diabetes tipo 1 ocorre em crianças e jovens, caracteriza-se por uma produção insuficiente de insulina pelo que deve consumir diariamente sob a pele. Seus sintomas são sede e fome constante, súbita perda de peso e cansaço anormal.
    4. A diabetes tipo 2 é a que sofre o maior número de pessoas adultas e deve-se fundamentalmente ao excesso de peso e falta de atividade física. Os sintomas são os mesmos que os da diabetes tipo 1, mas um pouco menos intensos, o que geralmente é diagnosticada até que a doença tem avançado e tem outros sintomas mais graves, como a neuropatia nos pés, infarto do miocárdio ou retinopatia diabética, que é uma importante causa de cegueira.
    5. As complicações da diabetes são muitas e podem danificar diretamente alguns órgãos como rins ou partes do corpo como os olhos e os pés. As pessoas com diabetes podem sofrer de doenças da pele, dos ossos, do aparelho digestivo e disfunção sexual.
    6. A diabetes não é curável, embora com bons hábitos, você pode controlá-la. Fazer exercício, comer de forma saudável, evitar o cigarro, checarte os níveis de glicose (açúcar) no sangue de forma cotidiana, seguir as indicações de seu médico e ficar alerta para qualquer alteração física, são chaves para viver sem complicações.
    7. A “cura” contra a diabetes ainda não existe. Não faças caso de charlatães que a oferecem.
    8. O mais incrível de diabetes, que pode ser de formas muito claras e simples: manter um peso corporal saudável; manter-se ativo, é suficiente uma caminhada de 30 minutos por dia, já muito fitness, prática de exercício físico três vezes por semana; evitar alimentos com gorduras saturadas e açúcares refinados (evite refrigerantes, sucos engarrafados e fast food) e evitar o consumo de tabaco e álcool (lembre-se que o álcool é, fundamentalmente, açúcar).

    Nada complicado, você vê? E sim, muito fácil. Não seja mais um número de estatística, mortal do diabetes no México.

  • Emagrecer com Saúde

    10 dicas para comer Desintoxicação

    1 – Evite o álcool


    O álcool é um dos maiores inimigos do organismo. O consumo excessivo de bebidas alcoólicas é uma importante causa de deterioração da saúde, já que, de forma geral, aumenta a quantidade de radicais livres no organismo, o que implica uma aceleração no processo de envelhecimento das células. Além disso, o álcool prejudica o fígado, um dos principais órgãos envolvidos na eliminação de toxinas.


    2 – Come frutas e legumes Desintoxicação


    As frutas e vegetais são os principais aliados do regime Desintoxicação graças à sua contribuição em várias vitaminas e minerais indispensáveis. Estes alimentos também são ricos em polifenóis, antioxidantes essenciais para eliminar as toxinas. Alguns conseguiram, inclusive, uma verdadeira reputação Desintoxicação, como a alcachofra e o rabanete preto. Os puristas do regime Desintoxicação insistem na importância de que sejam bio para evitar os possíveis pesticidas e outros produtos agroquímicos.


    3 – Reduz a carne


    Embora não se trata de tornar-se vegetariano, não convém abusar da carne, principalmente a vermelha. De fato, comer um bife de cada refeição não serve de nada. Uma peça de carne ao dia é o suficiente. E se a alternamos com o peixe, melhor ainda.


    4 – Acima dos probióticos


    Para dar caça às toxinas há que começar por um bom trânsito intestinal e, para isso, carregado de probióticos. Estas bactérias benéficas para o organismo, presentes em iogurtes e leites fermentados, permitem acabar com os problemas intestinais, ao mesmo tempo que limitam a presença de bactérias nocivas. Mas cuidado, existem muitos tipos diferentes de probióticos e não todos regulam o trânsito intestinal. Vale mais apostar por aqueles cuja eficácia tem sido comprovada como o famoso Bifidus Activo (que se encontra principalmente nos iogurtes Activia).


    5 – Elimina toxinas bebendo


    Para libertar o organismo de toxinas, há que drenarlas. Para isso, você precisa beber pelo menos 1,5 litros de água por dia. Assim você vai ajudar os rins a eliminar todos os resíduos e poluentes internos de seu organismo.


    6 – Aposta nas gorduras boas


    As gorduras saturadas, principalmente as de origem animal, são prejudiciais para as artérias. O regime Desintoxicação aposta nas boas gorduras, especialmente por os famosos ácidos graxos ômega 3, presentes no óleo de colza, óleo de noz e o peixe.


    7 – Reduz as calorias


    Comemos muitas calorias, assim o demonstra a atual “epidemia” de sobrepeso e obesidade. Devemos reduzir a ingestão de alimentos muito calóricos, especialmente no que se refere a produtos açucarados. É importante adaptar os aportes calóricos as reais necessidades de cada pessoa.


    8 – Deixe-se seduzir pela sopa


    Há certos alimentos que podem designar-se como a encarnação do regime de Desintoxicação, como é o caso da sopa de legumes. Este prato combina não só as vantagens de legumes (vitaminas, antioxidantes…), mas que, além disso, favorece a hidratação.


    9 – plantas Desintoxicação


    Algumas plantas são verdadeiros aliados da Desintoxicação. Uma delas é o chá, que contém poderosos antioxidantes que eliminam os radicais livres. Mas podemos citar muitas outras, como o ortosifón, o dente-de-leão, as urtigas… cadastre-se às infusões! É uma boa maneira de hidratar o organismo. No entanto, cuidado com o café: não tome mais de 4 por dia.


    10 – O modo de vida Desintoxicação


    A alimentação não é tudo. É necessário adotar hábitos de vida saudáveis: uma boa noite de sono e atividade física regular. Diga adeus ao tabaco, é um autêntico veneno. Além das inúmeras toxinas do fumo do charuto, aumenta os radicais livres.


    L. Asana

  • Emagrecer com Saúde

    Como queimar gorduras e queimar calorias?

    No mês passado, em 41 meu aniversário, meu marido e minha filha me deu um relógio Polar. A partir de então o uso para todas as minhas aulas, meus alunas adoram ver quantas calorias queimamos depois de cada classe. O Polar, além de medir a quantidade de calorias queimadas, indica o ritmo cardíaco e a porcentagem de gordura queimada durante a sessão. Ao ensinar-lhes o monitor, minhas alunas me perguntavam: o Que é mais eficaz, queimar gordura ou queimar calorias?


    Essa é uma pergunta que muita gente me tem feito ao longo de minha trajetória como professora e tenho certeza que muito de vocês também se fazem. Minha resposta: são dois treinos com intensidades e objetivos diferentes.


    Queimar calorias.


    As calorias são a quantidade de energia que trazem os alimentos, sua composição química, para que o corpo possa funcionar diariamente. Aqueles que querem perder peso, precisam consumir menos calorias do que o corpo necessita para funcionar normalmente. Os treinamentos onde o seu ritmo cardíaco atinge entre 70 e 80% de sua capacidade, exigem maior desgaste calórico e são excelente opção para perder peso. As calorias são um combustível de rápida liberação, assim que o corpo leva rapidamente para poder funcionar a esses níveis de exigência. Este tipo de treinamento, você também ajuda a desenvolver a resistência cardíaca e aeróbica. Os tipos de alimentos que fornecem essas calorias de liberação rápida são principalmente os carboidratos.


    Queimar gordura.


    A gordura acumulada no seu corpo são essas calorias em excesso que o corpo não utiliza em seu momento e deixa acumulada como reserva, para consumi-las posteriormente. O problema está em que, se tivermos uma vida sedentária ou consumimos uma quantidade maior de calorias (carboidratos, açúcares e gorduras) de que nosso corpo precisa, o armazenamento de gordura vai aumentando até chegar ao ponto onde começa a acumular-se nas paredes das artérias. A gordura é um combustível de liberação lenta de maneira que, se o seu objetivo é queimar toda essa “grasita” acumulada, necessita realizar exercícios onde o seu ritmo cardíaco se mantenha entre 50 e 60% de sua capacidade, durante mais de 40 minutos. Para se ter uma referência, quando a sua capacidade cardíaca está entre 50 e 60% ,durante o exercício, ou o momento de interrompê-lo, você pode ser capaz de manter uma conversa sem sentir falta de ar. Este tipo de treino, é também recomendado para aquelas pessoas que estão começando a treinar e a sua capacidade cardíaca é de baixo desempenho.


    O melhor dos 2 mundos.


    Como você pode ver, cada um dos 2 tipos de exercício têm os seus benefícios. Portanto, alternar durante a sua rotina de treinamento dos 2 tipos, que te farão ter resultados muito mais efetivos. Os treinos de intervalos também são excelentes para isso. Estes treinos são aqueles onde em uma mesma rotina alternadas em intervalos de exercícios de baixa intensidade (50 e 60%) e de alta intensidade (70% a 80%), Por exemplo, se você está andando, você pode alternar períodos de 1 a 3 minutos de caminhada suave, com períodos iguais de caminhada rápida ou corrida suave, dependendo de sua própria capacidade. Da mesma forma, quando você está fazendo outro tipo de exercícios, como correr, andar de bicicleta, dançar,etc., Em minhas aulas de Zumba, combino períodos de músicas de alta intensidade aeróbica com movimentos de fitness, e músicas de baixa intensidade aeróbica. Outra opção é alternar os treinos aérobicos intensos como corrida, dança, bicicleta, entre outros; com rotinas de treino de fortalecimento com ligas, resistência ou peso. O Cross fit e o treinamento funcional em circuito, são excelentes opções.


    Foto: Photos.com/Comstock


    Compartilhar

    baixe de pesoConsejosefectivoPlan de entrenamientoquemarcaloriaSaludSoymaratonista

  • Emagrecer com Saúde

    Como queimar calorias é o mesmo que queimar gordura?

    Como queimar calorias é o mesmo que queimar gordura? Esta é uma dúvida bastante frequente. É muito comum acreditar que a queima de calorias é sinônimo de queima de gordura, mas… será que Isso é verdade? Tu que pensas?…

    Atento que hoje eu vou acabar com essa dúvida de uma vez por todas.

    O que você vai encontrar?

    Como queimar calorias é o mesmo que queimar gordura?

    Subscreva meu Canal no Youtube. Eu estou à espera!

    O certo é que, queima de calorias, não tem por que estar relacionado com a queimar gordura.

    Para poder entender bem a diferença entre a queimar calorias e queima de gordura, vamos ver o que significa cada coisa, já que as duas fazem parte do processo de perda de peso e manutenção da forma física. Assim, vejamos.

    O que significa queimar calorias e queimar gordura?

    Queimar calorias

    Para explicar de uma forma simples, podemos dizer que as calorias são o combustível para que nosso corpo tem.

    Ou seja, é a energia que conseguimos através dos alimentos para poder realizar todas as ações do dia-a-dia.

    Queimar gordura

    As gorduras são as calorias que sobram de seu organismo. Sobram, porque não as usou, não usou essas calorias como combustível.

    As gorduras são como se fossem da reserva de energia do nosso corpo.

    O que é o que acontece com o nosso corpo em dia com as calorias e as gorduras?

    Se um dia as calorias que queimamos fazendo exercício, mais o resto de nossas atividades do dia-a-dia, é superior a todas as calorias que comemos, então vamos queimar gordura corporal.

    Mas, pelo contrário, se em um dia, as calorias que queimamos fazendo exercício, mais calorias que você queima com o resto de coisas do nosso dia-a-dia, como o trabalho ou para as coisas de casa, é menor ou igual a as calorias que ingerimos, então acontece o contrário somente queimamos calorias. Aí não estamos queimando gorduras. É mais, vamos acumular calorias na reserva, e isso pode acabar tornando-se um acúmulo de gordura corporal.

    Queimar calorias não é o mesmo que queimar gordura.

    O que acontece com as calorias que não se queima?

    Nosso corpo obtém as calorias que você precisa através da alimentação. Essas calorias nos vão dar a energia que precisamos para realizar todas as funções que temos que fazer no dia a dia.

    Se você precisa de energia para coisas tão básicas como respirar, o bombeamento de sangue do corpo, regenerar tecidos, digerir os alimentos que temos comido anteriormente ou até mesmo pensar. Para tudo isso precisamos das calorias.

    Mas se tomamos mais calorias que o nosso corpo pode reagir de três formas diferentes.

    • Pode ser usado para construir músculos maiores. Sempre que você treina duro exercícios de força.
    • Você também pode usar como fonte de energia para nossas atividades do dia-a-dia. Por exemplo, se você correr, você vai notar um plus de energia em suas carreiras.
    • Ou, no pior dos casos, você pode armazenar em forma de gordura. Você passa o dia sentado? Pois já sabe para onde irão essas calorias extras que não consome.

    Assim que eu espero que você tenha ficado muito claramente, e já que a essas alturas você saiba, que queimar gorduras não é o mesmo que queimar calorias.

  • Sexologia

    Disfunção erétil ou impotência

    A ereção é um fenômeno neurológico e vascular. O cérebro chegam estímulos pró-erétil e estímulos inhibitorios. O cérebro processa toda a informação e transmite as ordens ao pênis através da medula espinhal e os nervos erectores. Qualquer doença ou distúrbio que afete o cérebro, medula espinhal, nervos erectores e pudendos pode causar impotência.

    A disfunção erétil pode ser orgânica (de origem física) ou psicológica (origem psicológica). Não obstante, em muitos pacientes com disfunção erétil de origem orgânica, é inserido um componente psicológico (ansiedade de desempenho) que a agravar-se.


    A impotência orgânica é a mais frequente e ocorre por um distúrbio do pênis ou dos mecanismos relacionados com a ereção. Existem vários tipos de impotência orgânica:


    a) Vascular


    É muito comum. Ocorre quando chega uma curta sangue para o pênis (arterial) ou não se conserva adequadamente dentro dos corpos cavernosos (veno-oclusiva), existe um escape de sangue que impede de alcançar e manter a rigidez adequada.


    As causas mais comuns de impotência vascular são: diabetes, hipertensão, aumento do colesterol, tabagismo e doenças cardiovasculares. Estes homens com fatores de risco cardiovascular, a disfunção erétil pode ser o primeiro sintoma de “sentinela”, de doença cardiovascular que progride com o tempo. Estes homens é necessário tratar os problemas de ereção e é muito importante corrigir estes factores de risco vascular, que podem desencadear um evento cardíaco ou vascular mais grave.


    b) Neurológica


    Ocorre quando há problemas na transmissão de ordens que o cérebro e a medula espinhal enviados para o pênis, através dos nervos erectores.


    Produzem este tipo de impotência, diabetes, doenças da medula e as cirurgias realizadas por câncer de próstata, bexiga e reto (lesão de nervos erectores). Estes pacientes com causa neurológica têm problemas para iniciar a ereção e o tratamento é mais complexo.


    c) ou Hormonal da glândula Endócrina


    Quando o organismo produz menos hormônio masculino (testosterona) de que você precisa. A testosterona aumenta o desejo sexual, aumenta a frequência das relações sexuais e as ereções matinais. Um déficit de testosterona favorece a disfunção erétil.


    d) Por medicamentos


    Muitos medicamentos usados para o tratamento de doenças como a hipertensão arterial (especialmente beta-bloqueadores e tiazidas) ou a depressão podem afetar a função erétil. Os psicofármacos utilizados para tratar doenças do sistema nervoso costumam afetar a ereção.


    e) Psicológica
    A Disfunção Erétil Psicológica também é importante. A resposta sexual se origina no cérebro e depende de um equilíbrio entre os impulsos excitadores e impulsos inhibitorios dentro do Sistema Nervoso Central. O cérebro processa toda a informação que recebe e emite as ordens necessárias para que se inicie a ereção.


    Nestes casos, o mecanismo peneano da rigidez é normal, mas a ereção é dificultada por problemas psicológicos que podem ser causados por ansiedade de execução (medo de não conseguir uma ereção, medo de falhar), problemas de casal, depressão ou outros problemas psicológicos. O estresse de qualquer tipo pode afetar o ato sexual.


    Muitos pacientes podem ter inicialmente um componente vascular, o que produz uma disfunção erétil leve. É muito frequente que se inclua uma ansiedade de desempenho (medo de errar) que agrava a disfunção erétil.


    A disfunção erétil pode ser um sintoma sentinela de alguma doença importante?


    Existem fatores de risco vascular como hipertensão arterial, diabetes, tabagismo ou o aumento do colesterol que produzem lesões progressivas em todas as artérias do corpo. As artérias do pênis são menos diâmetro do que as artérias coronárias que irriga o coração e, muitas vezes obstruem inicialmente, as artérias do pênis.


    Vários trabalhos têm demonstrado que os pacientes com risco vascular podem desenvolver-se inicialmente de uma disfunção erétil. Se estes fatores de risco não são corrigidos, a doença vascular avança e pode ocorrer um infarto do miocárdio e doenças vasculares no cérebro, no coração e em todas as artérias do organismo.


    Neste sentido, é muito importante saber que a disfunção erétil pode ser um“sinal de alarme que nos avisa que as artérias estão se fechando. Quando um paciente com fatores de risco cardiovascular apresenta disfunção erétil deve consultar para prevenir doenças do coração.


    Onde posso ir?


    Se você acredita que tem problemas de ereção, deve consultar o seu médico. O médico de família pode oferecer-lhe uma orientação inicial.


    O médico mais aconselhável para tratar a disfunção eréctil é o urologista especialista em medicina sexual, também chamado de uro-andrólogo.


    No Instituto de Urologia e Medicina Sexual (Zaragoza) somos especialistas no estudo e tratamento integral do homem. Oferecemos um atendimento personalizado, com a máxima confidencialidade. O Dr. Rodríguez-Vela foi diagnosticado e tratado a milhares de homens com disfunção erétil há mais de 25 anos e oferece uma consulta personalizada e confidencial.


    Como se pode diagnosticar a disfunção erétil?


    Um urologista especialista em medicina sexual pode diagnosticar e tratar uma disfunção erétil com poucas provas. O diagnóstico e o tratamento devem ser individualizados, ou seja, personalizados para cada paciente e seu parceiro.


    Uma boa história clínica (entrevista), realizada por um profissional experiente neste campo, é a pedra angular do diagnóstico. Esta boa história clínica, juntamente com a exploração física adequada, nos indica o tipo de impotência e a causa.


    Além disso, nos permite avaliar o impacto psicológico que a impotência produz sobre o paciente e seu parceiro.


    A entrevista com o paciente deve ser realizada em um ambiente calmo, sem pressa, e é muito importante analisar as expectativas e motivações.


    A partir de sua história clínica e um uro-andrólogo especialista solicitará os exames de sangue mais adequados para cada paciente. Se a disfunção é acompanhado de uma diminuição do desejo sexual, é aconselhável realizar uma determinação de testosterona no sangue. Em muitos pacientes, não é necessário realizar a análise.


    No Instituto de Urologia e Medicina Sexual (Zaragoza) esta avaliação básica (história, exploração e analítica) nos permite informar ao paciente que a causa de seu problema e oferecer-lhe o tratamento mais adequado.


    Dispomos na nossa consulta de um equipamento de ultra-som e o efeito doppler , que permite-nos realizar um estudo detalhado dos vasos sanguíneos do pénis (eco-doppler dinâmico). Com esta técnica podemos avaliar o fator arterial (sangue que entra) e o fator veno-oclusivo (sangue que escapa). Este estudo eco-doppler é fundamental para distinguir entre causa psicogénica e orgânica.


    Em poucos pacientes, especialmente em jovens, é necessário recorrer a testes muito específicas.


    Ecocardiógrafo


    O que tratamentos existem?


    Atualmente, existem várias opções terapêuticas. O tratamento deve ser personalizado e as soluções são melhores quando se conhece a causa e é possível agir sobre ela.


    Em pacientes com impotência de origem psicológico é fundamental um acompanhamento psicológico para falar de disfunção erétil, com ele e com o seu parceiro e ajudá-los a superar o problema. É muito importante acalmá-las e diminuir a tensão no relacionamento de casal. Se existe uma depressão ou um problema psicológico acusado pode ser necessário um tratamento médico.


    Nos pacientes com disfunção erétil hormonal, existe um déficit de testosterona e respondem muito bem a um tratamento de substituição com esta hormona (ver secção diminuição do desejo sexual). Atualmente, em pacientes com déficit de testosterona, podemos gerenciar este hormônio em forma de gel, patch ou injeção.


    Em pacientes jovens com disfunção erétilarterial devemos realizar um eco-doppler peneano focado em uma microcirurgia de revascularização peneana.


    Em pacientes com factores de risco vascular (hipertensão, colesterol, tabagismo, diabetes) devem ser corrigidos estes fatores, para evitar que desenvolver uma doença cardiovascular grave (infarto do miocárdio, arteriosclerose, etc…). A correção desses fatores, melhora os problemas de ereção.


    Existem diferentes tratamentos para pacientes com disfunção erétil. Deve considerar cada paciente o tratamento mais apropriado para a sua impotência, começando inicialmente, os tratamentos mais simples.


    Os tratamentos atuais para a disfunção erétil orgânica dividem-se em:



    • 1ª linha: Medicamentos orais, ondas de choque e dispositivos de vácuo.

    • 2ª linha: Injeções intracavernosas, Alprostadilo em creme e intraurethral.

    • 3ª linha: Implante de uma prótese de pênis.

    No Instituto de Urologia e Medicina Sexual, após um diagnóstico adequado, explicar ao paciente todos os tratamentos que existem, como atuam e quais as vantagens e problemas têm. De acordo com a opinião e preferências do paciente e de seu parceiro, fizemos o tratamento mais indicado.


    As Guidelines da Associação Europeia de Urologia de 2015, atualizadas em 2017 indicam que os medicamentos orais e as ondas de choque de baixa energia são os tratamentos de primeira linha para homens com problemas de ereção.


    Como funcionam os medicamentos orais?


    Existem quatro medicamentos, que podem ser administradas na forma de comprimidos para tratar a impotência. São Sildenafil (Viagra®), Tadalafil (Cialis®), Vardenafil (Levitra®) e Avanafilo (Spedra®).


    Agem bloqueando uma enzima específica do pênis (fosfodiesterase 5) e, desta forma, potencializam os mecanismos naturais da ereção. Como são potenciadores naturais da ereção, é necessário que haja estimulação sexual, para que funcionem.

    Estimulação sexual contra a impotência

    Figura 4. Mecanismo de ação dos fármacos orais


    Estes inibidores da fosfodiesterase 5 oferecem bons resultados em mais de 70% dos pacientes e são bem tolerados. Funcionam melhor em pacientes com disfunção leve. Pelo contrário, são menos eficazes em homens com problemas para iniciar a ereção (cirurgia radical, neurológicos).


    O são seguros os medicamentos para a disfunção eréctil?


    Quando um urologista especialista em medicina sexual foi realizado um diagnóstico adequado e lhe recomendou um medicamento para a disfunção erétil, a presença de efeitos adversos é muito rara.


    Estes medicamentos podem ocorrer: dor de cabeça, rubor, congestão nasal, dor de estômago, etc… mas, em geral, são leves e pouco freqüentes.


    Estes fármacos (Sildenafil, Taldalafilo, Vardenafil e Avanafilo) por si mesmos, não produzem nenhum problema sobre o coração.


    Os pacientes que tomam medicamentos que contêm nitratos (cafinitrina e patches) não podem tomar inibidores da fosfodiesterase 5, já que a sua associação pode produzir hipotensão.


    O paciente não deve sexual para resolver sua disfunção erétil. Esses medicamentos são muito eficazes e devem sempre ser prescritos por um urologista especialista (uro-andrólogo) após um diagnóstico adequado e explicando com detalhe as instruções de como e quando tomá-lo.


    Como funciona o gel e o muse intraurethral?


    Alprostadilo é um medicamento no interior do corpo cavernoso é capaz de iniciar e manter uma ereção reforçando a via do amp cíclico. Ou seja, utiliza um mecanismo de ação diferente das pastilhas, é capaz de iniciar a ereção.


    Existe um preparado de alprostadilo em forma de Gel (Virirec®) que é aplicado na ponta do pénis (meato). Além disso, existe um mini-supositorio (MUSE®) que, através de um aplicador se deposita no interior do canal da urina (uretra). Ambos medicamentos contêm alprostadilo que se absorve na uretra posteriormente passa para os corpos cavernosos e são capazes de iniciar uma ereção. O efeito adverso mais potente é coceira-ardor uretral.


    Como funciona a injeção de alprostadilo dentro do pênis?


    É uma forma de tratamento uma eficiência muito alta, superior a 90%. A injeção é realizada dentro dos corpos cavernosos com uma agulha muito fina (de insulina) e, embora possa parecer o contrário, não é dolorosa. A medicação que se utiliza é alprostadilo e é capaz de iniciar a ereção.


    Para que a injeção intracavernosa funcione é fundamental que um médico experiente no tratamento solicitado a dose que deve ser feito e como consumir.


    No Instituto de Urologia e Medicina Sexual (Zaragoza) usamos um programa de treinamento que facilita a aprendizagem da técnica de injeção com muito bons resultados.


    Em pacientes com disfunção erétil grave que não respondem aos tratamentos orais a injeção em um tratamento muito eficaz e com poucas complicações, mas exige um aprendizado e uma supervisão médica especializada.


    Como são as próteses de pênis?


    A colocação de uma prótese necessária uma intervenção cirúrgica para colocar alguns dispositivos no pênis e no escroto. Os dispositivos de próteses ficam no interior do organismo, e quando o paciente desejar ativa da prótese, conseguindo uma boa ereção. Quando termina a relação sexual, a prótese pode ser desactivada e voltar ao estado de flacidez.


    A figura 5 expõe-se o esquema de uma prótese de pênis:

  • Sexologia

    28 Remédios Tratamentos Naturais para Impotencia Sexual

    disfunção erétil impotência remédios caseiros, tratamentos naturais
    Existem em série de remédios caseiros e soluções naturais para a disfunção erétil ou impotência sexual masculina, alguns dos quais utilizam há mais de 500 anos. Podem ser divididos em 3grupos:



    1. Alimentos: melancia, alho, cebola, óleo de linhaça, óleo de oliva (com tomate), cenoura, gengibre, passas, tâmaras, açafrão e citrinos.

    2. Plantas medicinais e de ervanário: L-arginina, ginseng, rodiola, boro, L-carnitina, DHEA, ginkgo, ioimbina, epimedium e vitaminas C e E.

    3. Práticas naturais e hábitos saudáveis: reduzir o colesterol, reduzir o consumo de álcool e tabaco, os exercícios Labirinto, praticar esportes (exceto bicicleta), acupuntura e meditação.

    Continua a ler para encontrar a explicação desses remédios caseiros e medicamentos para melhorar a ereção de forma natural e conseguir ter ereções instantâneos e duradouras.

    OLHA a Minha História. Você está a Tempo de Superar os Problemas de Ereção de Forma 100% Natural Como Eu Fiz. CLIQUE AQUI

    Contents / Conteúdos


    Alimentos contra a disfunção erétil


    alimentos-disfuncion-.-impotência


    A disfunção). ou a falta de ereção são problemas de sexualidade masculina ocorrem por causa da falta de suficiente irrigação sanguínea no pênis. Os alimentos desta lista têm algo em comum: ajudam a melhorar a cirulación sangüínea e, com isso, a melhorar a ereção naturalmente, como acontece com os exercícios contra a disfunção erétil.


    Pegue nota para fazer a sua próxima lista de compras!



    1. Dieta Mediterrânea: A dieta mediterrânea é excelente para resolver os problemas cardiovasculares. Está formada principalmente por vegetais, azeite, pimentão, feijão, massas e pão, entre outros alimentos.

    2. Melancia: de Acordo com cientistas da Universidade do Texas, a melancia pode ter um efeito semelhante ao do Viagra, devido ao seu conteúdo em Citrulina, uma substância capaz de trasformarse em Arginina, um aminoácido que aumenta a produção de óxido nítrico e, por sua vez, relaxa os vasos sanguíneos.

    3. Alho: Ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo, graças a uma compõem chamado Alicina.

    4. Cebola: Apesar de suas propriedades não são geralmente conhecidas, a cebola é um afrodisíaco eficaz e um dos melhores estimulantes da libido.

    5. Óleo de linhaça: A linhaça é rica em Ômega 3, capaz de melhorar a produção de prostaglandina, um hormônio que induz a ereção através do relaxamento do músculo trabecular e a dilatação das artérias cavernosas.

    6. Azeite de oliva (com tomate): O azeite favorece que tenhamos níveis de pressão arterial adequada. Se usado regularmente, melhora o tônus dos vasos sanguíneos e, com isso, as ereções. Além disso, estudos da Universidade de Almería, afirmam que o azeite de oliva com tomate podem melhorar a ereção da combinação com o Licopeno que estes contêm.

    7. Cenoura: A cenoura também ajuda a melhorar as ereções devido pelo efeito vasodilatador de seu alto teor de Licopeno.

    8. Gengibre: O gengibre é um grande afrodisíaco, com qualidades antiinflamantorias e lisonjeiras a saúde cardiovascular.

    9. Passas de uva: As uvas passas também contêm Arginina, que como sabemos é usado no tratamento dos problemas de erecção.

    10. Tâmaras Secas: As tâmaras secas são um alimento com a capacidade de restaurar o desejo sexual e aumentar a resistência.

    11. Açafrão: É usado devido a sua fragrância altamente erótica, pode despertar o desejo sexual, e ter um efeito relaxante.

    12. Citroterapia: Consiste no uso de cítricos como o limão e a laranja, para realizar a desintoxicação do organismo, com o objetivo de absorver melhor os nutrientes dos alimentos e suplementos que vamos ingerir.

    Relacionado:como Funciona o método “Ereção Total”?


    Plantas medicinais e de ervanário


    plantas-formulas-disfuncion-.-impotência


    À semelhança do que acontece com os alimentos, o consumo de suplementos tem um objetivo: a melhoria do fluxo sanguíneo para o pênis e o aumento do apetite sexual. Toma nota destas medicinas naturais e ervas para a disfunção eréctil que te ajudam a ter uma boa ereção.



    1. L-Arginina: É recomendado o uso deste aminoácido para melhorar o fluxo fluxo de sangue para o pênis. Tomar 5 gramas diários geralmente melhora a função sexual em homens que têm disfunção erétil.

    2. Ginseng Vermelho: É considerado como o “Milagre Asiático’: devolve a força mental e física para melhorar a fadiga ou fraqueza no homem. Coadyuva para que se dê uma adequada circulação do sangue e previne a anemia, já que ajuda a melhorar a função dos pulmões e baço. Nivela a pressão arterial, levando-a a seus valores normais.

    3. Rodiola: Esta planta que serve para aumentar a produtividade e melhora a resistência física. Consumida durante 3 meses melhora consideravelmente problemas de disfunção erétil.

    4. Boro: Este mineral regula o metabolismo de hormônios sexuais e aumenta os níveis de testosterona em homens de maneira segura.

    5. L-Carnitina: Alguns estudos mostram que a L-carnitina, combinada com o Viagra, pode melhorar a função erétil melhor do que quando se toma Viagra.

    6. Deshidroepiandrosterona (DHEA): Existe alguma evidência que sugere que a DHEA tem um efeito positivo em homens com disfunção erétil.

    7. Ginkgo biloba: O ginkgo biloba aumenta o fluxo sanguíneo para o pênis, o que pode aumentar o desejo sexual e disfunção erétil.

    8. Ioimbina: É o principal componente da casca de uma árvore africana com o mesmo nome. É um remédios naturais com mais possíveis efeitos adversos, já que alguns estudos tenham relacionado com o aumento da ansiedade e da pressão arterial.

    9. Vitaminas C e e: você Pode tomar a Vitamina C, 3 vezes ao dia para a redução de colesterol no sangue e, portanto, para obter um pênis ereto sem problemas. Além disso, a Vitamina E é um antioxidante que contribui para melhorar os problemas de ereção.

    10. Epimedium ou “Erva de bode em cio”: Supostamente, há substâncias nas folhas desta erva, que melhoram o desempenho sexual, mas não tem sido estudado em humanos.
    OLHA a Minha História. Assim Voltei a Desfrutar de Ereções Duras da Rocha, sem Medicamentos. CLIQUE AQUI

    Práticas e hábitos saudáveis para disfunção.


    hábitos-saudáveis-disfuncion-.-impotência


    Além de consumir alimentos e, no seu caso, suplementos, levar um estilo de vida equilibrado e saudável é fundamental para superar a impotência de forma saudável e permanente.



    1. Reduz o colesterol: O colesterol alto e doenças cardiovasculares estão por trás de 8 em cada 10 casos de impotência. Para descobrir quais os alimentos que podem ajudar a reduzir o colesterol, você só tem que voltar para a lista de alimentos que te dei na parte superior.

    2. Reduz ou elimina o consumo de álcool e tabaco: é Bem sabido que o consumo de álcool e cigarro agravam a saúde cardiovascular e a circulação sanguínea. Eliminar por completo ou reduzir o seu uso consideravelmente significará melhor circulação do sangue e mais sangue fluindo mais forte para o pénis.

    3. Praticar exercício físico, mas não ciclismo: A prática de exercício físico regular pode melhorar a saúde cardiovascular e, com isso, a saúde de suas ereções. No entanto, poltronas das bicicletas têm a capacidade de danificar as artérias da zona do períneo, e com isso gerar problemas de adormedimiento da glande e disfunção..

    4. Exercícios Labirinto: Estes exercícios podem ajudar a evitar a disfunção erétil, reter por mais tempo a ejaculação, ter orgasmos mais intensos e ereções mais fortes.

    5. Acupuntura: Esta técnica milenar chinesa, consiste na focalização dos nervos em nosso organismo com o objetivo de liberar ou recolher a energia produzida no nosso corpo. Esta técnica é realizada através da colocação em determinados pontos do corpo de agulhas para aliviar a dor, estresse e outros males físicos. Com ela você pode ajudar a ter ereções fortes e duradouras.

    6. Meditação:recomenda-Se o uso da meditação com o propósito de desbloquear certos aspectos mentais e pensamentos que talvez impedem de ter erecções rápidas de forma habitual.